A maternidade e a guerra secreta que mina a vida de pais e mães

Existe um termo em ingl?s que expressa bem o clima perverso que muitas vezes permeia a vida de pais e m?es de hoje: “Mommy war”. Algo como “guerra de mam?es”, mas que, claro, n?o vale s? pra m?es.
Mas isso quer dizer que muitos pais e m?es est?o em p? de guerra? Justamente – acredite se quiser!
E essa ? um batalha secreta, cujo front acontece principalmente nas redes sociais. Sobre o porqu? de pais sa?rem por a? julgando outros pais, n?o me pe?a para explicar. N?o fa?o ideia de onde eles tiram tempo ou paci?ncia, j? que a vida de todos n?s ? bem corrida.
Mas posso falar um pouco de como essa disputa acontece….
Tudo come?a com um press?o que paira sobre a sociedade atual de que ? obriga??o dos pais dar aos filhos uma inf?ncia impec?vel. E, para isso, h? diversos “itens a serem cumpridos”. E ai de mim se n?o cumpri-los ? risca! Certamente vou ser alvo de olhares tortos, vou ser julgada e, claro, um dos efeitos colaterais pode ser uma boa dose de culpa.
Na minha opini?o, essa disputa acontece em v?rios n?veis e inclui uma longa lista de itens que voc? tem de cumprir. Se n?o cumprir, pode ser visto como “menos pai” ou “menos m?e”. Veja alguns exemplos, do mais inocente ao mais perverso.?

1) “Fogueirinha de vaidades”
? preciso muito suor, tempo, paci?ncia e incr?veis boards no Pinterest (site onde voc? re?ne fotos para se inspirar e compartilha com outras pessoas) para ficar bem nesse quesito, se n?o os vigilantes da inf?ncia m?gica, para usar um termo que li em um texto da autora Bunmi Laditan, v?o cair matando em cima de ti!
Por exemplo, voc? p-r-e-c-i-s-a planejar festas perfeitas para o seu filho, o que significa que n?o pode faltar NADA do pacote exigido atualmente: card?pio elaborado, decora??o exagerada, monitores irritantemente animados, lembrancinhas car?ssimas.
Tamb?m ? “crucial” na inf?ncia de seu filho fazer atividades art?sticas incr?veis, perfeitas e que rendam muitos likes e cora??es no Facebook e no Instagram. Esque?a o bom o velho papel e giz de c?ra. ? preciso ter materiais sofisticados e caros, ? preciso ficar perfeito, tudo igualzinho aos projetos da Martha Stewart ou do Mr. Maker!?
Esse primeiro est?gio da guerrinha de pais conta com “soldados” que adoram se exibir nas redes sociais, mas, quer saber? Isso pode at? fazer parte da vida de pai, querer mostrar o quanto voc? est? se esfor?ando para deixar seu filho feliz.?
?
Ent?o, at? esse ponto, a “guerra de pais” pode cair num ambiente totalmente in?til de disputa, mas sem causar grandes danos colaterais. Voc? ignora os pais que ficam se exibindo, faz a festa do jeito que quiser e ponto. Pega l? a caixa de giz e fim de papo, as crian?as v?o se divertir de qualquer jeito, mesmo estando todos quebrados.?

2) Terreno ardiloso
Mas essa disputa inocente do item acima pode degringolar e ferir de verdade. E ? a? que se cria um clima ruim, que passa de apenas in?til para dolorido e at? perverso.?
Aqui entram pais que n?o ficam exibindo o trabalhinho perfeito que fizeram com os filhos. Ficam se gabando de conquistas que muitas vezes s?o complicadas para algumas crian?as. E h? uma linha sutil a?, permeando esse terreno ardioloso. Me explico.?
Acho ok voc? comemorar no Facebook que seu filho tirou a fralda ou a chupeta. “Viva, depois de muito esfor?o, o Juquinha deixou a chupeta. Uh-hu!” ou “A Maria se esfor?ou muito e agora conseguiu se livrar das fraldas”
Eu curtiria super se fosse algum amigo meu, afinal, ? uma baita conquista para a crian?a – e para os pais!
Agora, acho pouco saud?vel, coisas do tipo: “Muita d? dessas crian?as que usam chupeta. ? um sofrimento para tirar depois. Meus filhos jamais usaram chupeta!”
S?rio? Para uma m?e ou pai que est? batalhando para tirar chupeta do filho pode ser dolorido ouvir isso, n?o??
Ou algo do tipo: “Hoje vi uma m?e dando um chocolate para um menino de 2 anos. Que horror!” E se aquilo for uma exce??o? E se aquela crian?a tem a dieta mais saud?vel do mundo e, vez ou outra, come um chocolatinho??Pare de julgar, diz a placa. Boa ideia, n?o??

3) Front perigoso
Nesse ?ltimo item, n?o entram coisas que podem ser “consertadas” se os pais quiserem – e quando quiserem.?
Eles podem decidir dar menos chocolate para crian?a e melhorar os h?bitos alimentares da fam?lia. Eles podem decidir fazer uma festa diferente no ano seguinte, de repente com ideias que viram na internet, coisas at? mais criativas e, qui??, mais baratas! Eles eventualmente v?o conseguir tirar a chupeta e a mamadeira dos filhos.?
Mas uma m?e que n?o conseguiu amamentar 6 meses (ou mais de 2 anos como muitos indicam ou “exigem”) pode se sentir culpada com mensagens do tipo: “Crian?a saud?vel ? crian?a que mama no peito at? os 2 anos”. Como se sente a m?e que n?o conseguiu amamentar por muitos meses?
“Nada de creche! Eu n?o terceirizo a cria??o dos meus filhos, cuido deles eu mesma!” Como se sente, ao ouvir isso, uma m?e que precisou voltar a trabalhar e teve de colocar o filho no ber??rio?
“Na ces?rea, o beb? ? extirpado da barriga da m?e.” Como se sente, ao ouvir isso, uma m?e que n?o conseguiu um parto normal?
Existem formas e formas de passar sua mensagem. Acho legal escolher a menos combativa. Ter filhos j? ? dif?cil por si s?, ningu?m precisa de dedos apontados na sua cara.?

O que acham, pessoal? J? presenciaram essas disputas? Como lidam com isso?

Posts relacionados

Tagged:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *