Distância e saudade. O que fazer quando você viaja e seu filho fica em casa?

Quando o Theo completou tr?s anos, eu fui fazer uma longa viagem a trabalho. Quer dizer, pra mim foi longa: 13 dias.

At? ent?o, a gente nunca tinha se separado por tanto tempo. Ali?s, pensando bem, esse foi o per?odo que mais tempo fiquei longe dele at? hoje.

Um m?s antes da viagem, me dava p?nico de pensar o que ele poderia imaginar durante o per?odo em que eu estaria fora. “Ser? que ele vai sofrer achando que a m?e dele n?o vai mais voltar?” Essa era apenas uma das ideinhas que povoavam minha cabe?a.

At? que fui conversar com a professora do Theo na ?poca, uma pessoa incr?vel, que conhecia bem o meu filho e tinha muita experi?ncia com crian?as da idade dele. Vendo minha afli??o, ela me deu uma ideia simples, que ajudou (e muito!) a reduzir a minha ansiedade – e tamb?m a dele.

“Mari, por que voc? n?o faz um calend?rio com os dias em que voc? vai ficar fora? Assim, ele vai contando os dias que se passaram e os que faltam para voc? chegar. Fica algo mais palp?vel na cabe?a dele.”

Ela mal terminou de falar e eu estava convencida que aquela ideia era brilhante.

Quando comecei a pensar em que parte da minha casa eu ia pregar o tal calend?rio, me lembrei de algo que os americanos fazem um m?s antes do Natal, algo que eles chamam de “advent calendar”.

Um dos objetivos ? justamente reduzir aquela ansiedade alucinada que acomete muitas crian?as ?s v?speras do Natal.?

Para dar uma forcinha nessa ?rdua tarefa, cada dia do tal calend?rio vem em forma de um pequeno recipiente (que pode ser saquinho, caixinha, envelopes..) e, dentro de cada um, h? um presentinho. S? coisinhas bem simples mesmo.

Pronto. Resolvi colocar a m?o na massa e em menos de duas horas estava tudo pronto, sendo que gastei no m?ximo uns 20 reais. Primeiro, fui em uma grande papelaria e comprei:

  • Saquinhos laminados de presentes de uns 10 ou 20 cent?metros
  • Um rolo de barbante
  • Presentinhos como: caixinha de giz, apontador, cartelinha de adesivos, caderninho, borrachas em forma de bichinhos.?

Na banca de revistas, comprei pacotes de figurinha, gibi e dois chocolatinhos. Tamb?m resgatei algumas tatuagens tempor?rias que eu tinha em casa.

Chegando em casa, amarrei um barbante de um extremo ao outro na janela da sala, formando uma esp?cie de varal na parte debaixo, pra ficar da altura do Theo.

Coloquei cada um dos presentes dentro dos saquinhos, junto com um bilhete com coisas desenhadas ou com um recadinho. Preguei os saquinhos no varal usando prendedor de roupas mesmo.

E pronto!

Segundo o meu marido, Theo acordava todo dia, contava quantos saquinhos ainda restavam no varal. Se eram 5, dizia que faltavam 5 dias para eu chegar, e por a? vai. E segundos depois j? estava abrindo seu presentinho do dia.

Ou seja, a ideia foi certeira! Ajudou meu menino a saber quando a m?e iria voltar, o deixou animadinho logo cedo e fez com que ele esquecesse um pouco da saudade.

Quando eu cheguei, logo depois da “cena de aeroporto” que protagonizamos, ele me contou todo animado que tinha aberto o ?ltimo dos presentinhos naquela manh?. Foi lindo!

As fotos ao longo desse post s?o desses calend?rios de Natal comuns nos Estados Unidos, mas que s?o facilmente adapt?veis para nossos, digamos, “calend?rios da saudade”.

J? viajou e deixou seu filho pequeno em casa? Como foi a experi?ncia?

Cr?dito:

Foto 1: Maileg

Foto 2: Design Scouting

Foto 3: Simple Kierste

Foto 4: Skip To My Lou

Posts relacionados

Tagged:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *